Prefeitura de Parnaíba embarga obra da Agespisa no centro

A prefeitura promete ainda acionar o Ministério Público e a Justiça, caso não seja realizado o reparo.


 Prefeitura de Parnaíba embarga obra da Agespisa no centro
some text

A Prefeitura Municipal Parnaíba publicou nota em seu site oficial para esclarecer o que chamou de "crateras” abertas pela Agespisa e Construtora Jurema no trecho que corresponde ao Monumento da Águia no centro da cidade. Segundo a PMP, a obra não teve autorização da Prefeitura de Parnaíba, nenhuma licença foi emitida para que a Agespisa ou a Construtora Jurema causasse transtornos à população no trecho mais movimentado da cidade.

O comunicado prossegue recordando que a Prefeitura de Parnaíba e a própria população já tiveram transtornos com a Agespisa em relação ao mesmo problema. Meses atrás a Agespisa, através de outra empresa, também cavou buracos na Avenida das Normalistas no Bairro Nova Parnaíba, ficando acertado que eles iriam fazer o recapeamento asfáltico, fato que não aconteceu e a Prefeitura de Parnaíba, através da assessoria jurídica, teve que acionar a justiça para que o problema fosse resolvido.

A nota sobe o tom afirmando que "mais uma vez de má fé e sem comunicar a nenhum órgão do município, a Agespisa novamente realiza vandalismo contra as vias públicas do município parnaibano. Além do transtorno causado para os transeuntes por conta das crateras estarem em cruzamento importante, é preciso dizer que é alto o risco de acidentes naquele trecho, por conta da irresponsabilidade dos responsáveis da obra".

A Prefeitura de Parnaíba, através dos setores responsáveis, já tomou as devidas providências, embargando a obra e exigindo dos responsáveis o reparo imediato da massa asfáltica, inclusive podendo acionar o Ministério Público e a Justiça, caso não seja realizado o reparo.

Em entrevista ao vivo por telefone no Programa Primeiras Notícias da Rádio Liderança FM (95,1), o Secretário Imediato do Prefeito, João Carlos Guimarães, informou que está marcado para esta quarta-feira, 08, uma reunião entre a Asserpa e representantes da Agespisa e da empresa Jurema, onde uma das exigências da Prefeitura de Parnaíba para que a obra seja liberada, é que a cada 100 metros de realização da obra seja refeita a pavimentação das vias cujas valas foram abertas.

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.