Plano de Contingência Estadual para varíola dos macacos é lançado pela Sesapi

O material contém orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de Monkeypox, além de orientar as ações a serem definidas pelo estado e municípios piauienses.


 Plano de Contingência Estadual para varíola dos macacos é lançado pela Sesapi
some text

A Secretaria de Estado da Saúde(Sesapi), através do Centro de Informações em Vigilância em Saúde(Cievs) elaborou um Plano de Contingência do Estado do Piauí para a Monkeypox, a varíola dos macacos.

O documento de 30 páginas reúne informações estratégicas para contenção e controle da doença, que até o dia 6 de agosto 2022, já infectou duas pessoas no Piauí, sendo notificados 39 casos em 16 municípios, com 27 suspeitos e 10 descartados.

O material contém orientações assistenciais, epidemiológicas e laboratoriais para a gestão dos casos de Monkeypox, além de orientar as ações a serem definidas pelo estado e municípios piauienses.

O Plano também apresenta as definições de caso suspeito, provável, confirmado e descartado da varíola dos macacos, além do modo de transmissão e os grupos vulneráveis com orientações a respeito do isolamento de casos suspeitos, identificação de sintomas, realização de campanhas de conscientização e testagem.

Sobre a vacina contra a doença, o Plano orienta a investir e acompanhar os recursos financiados pelo Ministério da Saúde para a aquisição da vacina monkeypox; além de Elaborar e divulgar Estratégia Nacional de Vacinação Contra o Vírus, com base no cenário epidemiológico e disponibilidade de imunobiológicos; Elaborar e divulgar documentos técnicos sobre a vacina; além de acompanhar e monitorar a logística e a distribuição para as vacinas monkeypox, quando houver.

O Secretário de Saúde, Neris Júnior, destaca a importância do compartilhamento das informações sobre a doença. “É importante que as pessoas estejam informadas de como se dá o contato, como é a maior probabilidade de contágio, o que fazer se estiver infectado. Tudo isso tem que ficar muito claro. Lembrando que qualquer um pode pegar essa doença”, afirma o gestor.

A varíola dos macacos é transmitida pelo vírus Monkeypoxvirus (MPXV) é transmitida por animais (zoonoses) e sua transmissão para humanos pode ocorrer através do contato com um animal ou pessoa infectada, ou ainda com material corporal humano contendo o vírus. Essa zoonose é conhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1970.

Fonte: Sesapi

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.