Pesquisadores da Unesp criam biomaterial para incontinência urinária

Nos testes em animais, o biomaterial apresentou bons resultados. Além de ser mais econômico, o dispositivo deve ser uma opção de tratamento seguro, eficiente e confortável.


 Pesquisadores da Unesp criam biomaterial para incontinência urinária
some text

Mulheres que desenvolvem diabetes na gestação podem sofrer com a incontinência urinária. Para resolver isso, pesquisadores da Universidade Estadual Paulista desenvolveram uma nova tecnologia que ajuda a regenerar a musculatura da região pélvica. A cientista Juliana Floriano iniciou os estudos ainda no doutorado, que resultou em um dispositivo de látex e células-tronco.

Nos testes em animais, o biomaterial apresentou bons resultados. Além de ser mais econômico, o dispositivo deve ser uma opção de tratamento seguro, eficiente e confortável, como explica a pesquisadora Juliana Floriano: "Em se tratando de mulheres com diabetes gestacional, o tratamento aumenta a qualidade de vida destas pessoas".

Juliana Floriano acredita que essa inovação deve ter um impacto direto na vida familiar, profissional e financeira das mulheres que sofrem com a incontinência urinária.

O estudo contou com o financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e com o apoio da Agência de Inovação da Unifesp.

O próximo passo é realizar os testes em humanos. O grupo está aberto a parcerias para dar continuidade ao desenvolvimento dessa nova terapia contra incontinência urinária.

Fonte: Agência Brasil

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.