Parnahyba perde ação na justiça do trabalho e deve desembolsar mais de R$ 60 Mil

Ação foi movida por oito ex-jogadores do time, que reclamam salários ainda de 2018


 Parnahyba perde ação na justiça do trabalho e deve desembolsar mais de R$ 60 Mil
some text

Oito jogadores que pertenceram aos quadros do Parnahyba Sport Club, entraram com pedidos de reclamações trabalhistas, seis deles já receberam os devidos valores referentes ao ano de 2018.

De acordo com o advogado dos jogadores Juliselmo Galvão, não houve acordo com dois de seus clientes, e o time vai arcar com uma conta superior à R$ 60 Mil.

“O processo já entrou no Sisbajud, é onde começam os bloqueios de contas e penhora de bens, todo valor que cair nas conta do clube serão bloqueados, até satisfazer o crédito” disse Juliselmo.

Os valores que o advogado se refere são de convênios que o time tem com instituições que patrocinam o clube. Em maio deste ano a reportagem do BTM teve acesso às prestações de contas do Parnahyba, em uma delas aparece o valor de R$ 8 Mil que são pagos mensalmente pela Justiça Federal pelo aluguel da sede do time, localizada na praça Santo Antônio no centro de Parnaíba.

O mesmo endereço aparece em prestações de contas do time, em que prestadores de serviços para o Parnahyba diziam morar. A suspeita de irregularidades na prestação de contas do time está sendo investigada através de uma ação de investigação judicial eleitoral, que apura um suposto esquema que beneficia candidatos nas eleições de 2020, entre eles o presidente licenciado do time, e vereador Batista Filho (SDD).  

Em janeiro deste ano o conselho deliberativo do Parnahyba fez uma reunião extraordinária, na ata o presidente do conselho João Medeiros afirmou que tramita na Câmara Municipal uma emenda à Lei orgânica do município, que busca alterar o Artigo 28 que impede o vereador Batista Filho a permanecer no cargo de presidente do Parnahyba por causa do mandato de vereador.

A manobra política se arrasta de janeiro pra cá, mas em resposta à nossa reportagem o presidente da Câmara vereador Carlson Pessoa (DEM), confirmou que existe a possibilidade de alteração do artigo 28 da lei orgânica, e que a câmara está buscando a melhor forma de proceder com essa matéria.

“Realmente desde o ano passado estamos trabalhando a alteração” disse Carlson.

Tiago Mendes

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.