Neris Junior critica corte de verbas para Farmácia Popular e combate ao Câncer

A Farmácia Popular garante o acesso aos produtos previstos no componente básico de assistência farmacêutica, com medicamentos da atenção primária à saúde, a partir de recursos da União.


 Neris Junior critica corte de verbas para Farmácia Popular e combate ao Câncer

(Foto: Reprodução / O DIA)

some text

Durante o evento de inauguração da Farmácia Central, Dispensário de Medicamentos e da Lavanderia Hospitalar do Hospital Getúlio Vargas (HGV), o secretário de Estado da Saúde Antônio Neris afirmou nesta quarta-feira (28), em entrevista ao Portal O Dia, que a SESAPI está preocupada com o corte de 33% nos repasses do Governo Federal para a Farmácia Popular e para o tratamento contra o Câncer no Piauí.

“Identificamos a dificuldade do Ministério da Saúde não só para o Piauí, que sofre com isso. Mas vemos uma dificuldade no repasse. Isso nos mostra que teremos que fazer maiores investimentos vindos do Tesouro Estadual, mas reflete na importância do Conselho Nacional de Secretários de Saúde estar em consonância e discussão com o Ministério”, disse o secretário.

Em tom de crítica, Antônio Neris afirmou ainda que “Muitas ações são tomadas sem conhecimento dos estados, que não podem participar dessas tratativas. Presenciamos também a diminuição de recursos destinados ao câncer. Os Estados têm tomado a rédea, diante da inoperância e da diminuição dos repasses de verbas”, complementou.

(Foto: Tarcio Cruz / O DIA)

A governadora Regina Sousa, que também esteve presente na inauguração, afirmou que os cortes nos repasses do Governo Federal vão causar desabastecimento e falta de medicamentos para a população. “Farmácia Popular foi uma foi uma invenção fantástica. A pessoa poder pegar seu remédio de graça ou pagando menos, isso desafogou muito os hospitais. E agora com certeza vai faltar (remédios). É muita gente atendida. Isso é o fim da Farmácia Popular”.

Sobre o programa

A Farmácia Popular garante o acesso aos produtos previstos no “componente básico de assistência farmacêutica”, com “medicamentos da atenção primária à saúde”, a partir de recursos da União. A iniciativa oferece descontos em remédios contra males como dislipidemia, rinite, mal de Parkinson, osteoporose, glaucoma e incontinência urinária. O programa oferece também anticoncepcionais com preços mais baixos. 

Há ainda a oferta de 13 medicamentos gratuitos contra hipertensão, diabetes e asma. Segundo o Ministério da Saúde, em 2021 o programa contava com 30.922 farmácias cadastradas em 4.398 municípios.

Fonte: O Dia

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.