Homem que matou idosa em Parnaíba é condenado a 46 anos de prisão

A idosa foi assassinada com uma foice com cabo de madeira e lâmina enferrujada deixada ao lado do cadáver que foi colocado debaixo da cama. O corpo foi encontrado após dois dias do crime em estado de decomposição.


 Homem que matou idosa em Parnaíba é condenado a 46 anos de prisão
some text

O acusado de matar e ocultar o corpo da idosa Maria José Soares Maciel, 67 anos, foi condenado a 46 anos de prisão e a 243 dias-multa. O assassinato ocorreu em 2020, na cidade de Parnaíba, no litoral do Piauí. Evaldo Machado dos Santos- que agora tem 34 anos- foi considerado culpado pelo Tribunal do Júri por feminicídio e furto qualificado. Os dois mantinham um relacionamento amoroso apenas há cinco meses. 

O caso teve grande repercussão à época. A idosa foi assassinada com uma foice com cabo de madeira e lâmina enferrujada deixada ao lado do cadáver que foi colocado debaixo da cama. O corpo foi encontrado após dois dias do crime em estado de decomposição.

A sentença, expedida pelo juiz Georges Cobiniano, determina que a pena seja cumprida em regime fechado e nega ao acusado o direito de recorrer em liberdade.para resguardar a ordem pública e em virtude de existirem indícios de periculosidade do condenado, consistentes nas múltiplas circunstâncias negativas e nos maus antecedentes. O promotor de justiça e coordenador do Grupo de Apoio aos Promotores de Justiça com Atuação no Tribunal do Júri (GAEJ/MPPI), Márcio Carcará, foi o representante do Ministério Público do Piauí na sessão do Tribunal do Júri.

FEMINICÍDIO E FURTO

O corpo da idosa foi localizada após a filha denunciar o desaparecimento da mãe e apontar Evaldo Machado como culpado. Com ele foram encontrados um cartão da Caixa Econômica Federal e um molho de chaves pertencentes à vítima. 

"Ao chegarem ao endereço da vítima, os policiais encontraram o imóvel fechado e aparentemente sem ninguém em seu interior. Entrando na residência, conseguiram localizar o corpo em um quarto, embaixo de uma cama sobreposta por dois colchões, com a face coberta por um tecido estampado e com uma lesão contusa, em região frontal, a qual resultou em sua morte por contusão cerebral", informou o TJ-PI. 

Consta nos autos que a relação entre vítima e o acusado era repleta de agressões e desentendimentos. Foi comprovado que após o crime, o réu contou com o auxílio de dois amigos para furtar objetos da casa da idosa como móveis e eletrodomésticos. 

Fonte: Cidade Verde

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.