Diretor do HNSF diz que procura por UTI Covid ainda preocupa em Parnaíba

Para Daniel Miranda, apesar dos números em termos gerais, ainda não é hora de descuidos com a prevenção.


 Diretor do HNSF diz que procura por UTI Covid ainda preocupa em Parnaíba
some text

Para o diretor administrativo do Hospital Nossa Senhora de Fátima (Anexo II do Hospital Dirceu), Daniel Miranda, o momento ainda não é de relaxar, com relação às medidas restritivas e protetivas do governo e do setor da saúde, no que tange à Covid-19, apesar da tendência de queda no número de casos. “Os números não tem um padrão definido: há dias que temos um decréscimo  no número de mortos, mas há dias que há um aumento.  Já passamos aqui uma semana praticamente sem óbitos, mas tivemos obitos dois dias seguidos. Portanto, ainda não há um padrão de queda total. Há uma tendência, mas com oscilações, com relação ao número de mortes e internações.

Daniel Miranda - Diretor HNSF

Segundo Daniel, o Nossa Senhora de Fátima hoje opera com uma capacidade de leitos com ocupação reduzida. Nesta quarta-feira, apenas 5 pacientes se encontravam internados em leitos clínicos. “Mas a nossa demanda de procura por UTI ainda é muito alta. Hoje existem 11 pacientes em leitos de Terapia Intensiva; 5 em leitos clínicos, o que são números animadores, mas não nos dão uma tranquilidade absoluta, uma vez que em determinados dias observamos ainda uma procura grande, na nossa triagem. E isso nos leva a afirmar que o momento ainda não é de relaxar nas medias de proteção. Têm se apresentado aí algumas variantes em alguns lugares do Brasil e é claro que nós também estamos atentos às variações, para sabermos determinar o fluxo de funcionamento do hospital”, pontuou Daniel.

O Hospital Nossa Senhora de Fátima possui hoje condições de receber 20 pacientes de tratamento de terapia intensiva e uma capacidade de receber até 50 pacientes em leitos clínicos. “Esses leitos foram reduzidos para 20 porque relmente não estávamos ocupando. Mas, em sendo necessário, esses leitos podem ser aumentados automaticamente se houver uma demanda crescente”.

Daniel lembra que o governo do Piauí continua mantendo as medidas restritivas, renovando-as  sempre. Mas aglomerações têm acontecido desrespeitando essas normas. “Esperamos que a população compreenda que existem as variantes que aí se apresentam a todo momento, inclusive chegando pacientes no Piauí oriundos de outros Estados. Esperamos que a população respeite as medidas que o governo tem implementado para tentar manter os níveis da doença e de óbitos em padrões baixos e tentar reduzir esses índices ainda mais para os próximos meses.

Fonte: Blog do B. Silva

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.