Deputados reclamam resposta de secretários a requerimentos aprovados em Plenário

Assunto puxado por Henrique Pires, ganhou endosso de vários outros deputados, inclusive da base governista.


 Deputados reclamam resposta de secretários a requerimentos aprovados em Plenário
some text

O deputado estadual Henrique Pires (MDB) ocupou a tribuna, durante a sessão plenária desta segunda-feira (9) na Assembleia Legislativa, para cobrar maior celeridade por parte dos secretários de Estado em relação às respostas às solicitações dos parlamentares.

De acordo com Henrique Pires, há requerimentos do ano de 2019 que ainda não foram respondidos. “É mais fácil o governador responder nossas mensagens, mesmo com todas as suas atribuições, do que alguns setores do governo responderem um pedido de informação. Estou com dois requerimentos. Um deles é de 2019 e até hoje a resposta não veio”, criticou.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputadoThemístocles Filho (MDB), reforçou que a Casa deve ser prontamente comunicada do não cumprimento dos prazos por parte dos órgãos para que sejam tomadas as providências cabíveis.

Durante discurso, o deputado Gessivaldo Isaías (Republicanos) também criticou a demora no atendimento aos requerimentos enviados pela Alepi às Secretarias. “Eu endosso as palavras do deputado Henrique Pires. Não constam em meu gabinete respostas de nenhum requerimento feito aos secretários, inclusive dos vários requerimentos destinados ao secretário de Saúde, Florentino Neto”, informou.

“Se eu faço um requerimento é porque a população está pedindo. Farei uma solicitação junto à casa para que se cumpra o regimento interno da Assembleia”, completou Gessivaldo Isaías.

Oliveira Neto, do Cidadania, foi mais um a cobrar das secretarias as demandas encaminhadas pelos deputados. “Há algumas  secretarias que são atuantes e não podemos generalizar. Mas cito aqui o exemplo Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), pois o secretário Florentino precisa ter mais atenção com os deputados. Destinei R$ 100 mil em emendas impositivas para a instalação de academias públicas e até hoje não obtive retorno. Destinei R$ 1 milhão de reais em emendas para o Hospital Pedro Vasconcelos, no município de Miguel Alves, há 1 ano e meio. Somente agora a Sesapi resolveu fazer alguma coisa porque o prefeito do município prometeu apoio ao secretário Florentino. Trata-se de uma emenda de minha autoria e o secretário Florentino afirmou que ele conseguiu a reforma do hospital. Isso não pode acontecer”, alertou o deputado Oliveira Neto.

O deputado Marden Menezes (PSDB) afirmou que o governo está direcionando ações em busca de apoio político para os secretários. “O governo está girando para a politicagem, buscando votos e apoio político para os secretários. Quem está falando não sou eu, mas o deputado Oliveira Neto da base do governo. Essa denúncia precisa do acompanhamento do Ministério Público (MP) e da apuração da Mesa Diretora da Alepi”, defendeu.

O deputado tucano também cobrou maior transparência em relação aos pedidos de empréstimo realizados pelo governo estadual. "No último dia 5 de agosto, a maioria da bancada de oposição estava prestigiando a posse do senador Ciro como ministro da Casa Civil. Aqui a Assembleia recebeu mais dois pedidos de empréstimos. A oposição não estava aqui, em sua maioria, e esse pedidos já chegaram como requerimento de urgência, assinado pela maioria governista e a urgência foi aprovada. O governo estadual quer aprovar, sem discussão e análise, mais dois empréstimos. A Casa já aprovou nesta  legislatura mais de R$ 1 bilhão em empréstimos sem transparência: não sabemos que obras vão de fato receber esses recursos”, expôs.

Ainda durante a sessão plenária, o deputado B. Sá (Progressistas) disse estar estarrecido com a informação trazida pelo deputado da base governista. “Estou estarrecido com essa denúncia: os deputados da base explanando publicamente o que se passa dentro dos órgãos. A gente já sabia há muito tempo que esses órgãos foram loteados por políticos. A sua operacionalização sempre foi atuar em benefício daquele secretário ou pessoa que tem interesse político. É necessária a apuração do MP, do Tribunal de Contas e da Assembleia. Nós somos reféns das decisões do Poder Executivo. São 24 deputados da base governista e apenas 6 da oposição”, lamentou B. Sá.

Fonte: ALEPI

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.