Campanha quer controlar casos de leishmaniose visceral canina

Nos últimos oito anos, Fortaleza vem reduzindo casos da doença.


 Campanha quer controlar casos de leishmaniose visceral canina
some text

Foi lançada nesta quinta-feira (12), em Fortaleza, no Ceará, a Campanha Nacional de Encoleiramento de Cães para controle da leishmaniose visceral canina, popularmente conhecida como Calazar.

Considerada pela Organização Mundial da Saúde uma das seis doenças infecto-parasitárias mais perigosas do mundo, a leishmaniose está presente em 12 países da América Latina, sendo que 90% dos casos ocorrem no Brasil, a maioria nos estados do Nordeste.

A cidade de Fortaleza foi escolhida para o lançamento da campanha porque nos últimos oito anos vem reduzindo os casos da doença por meio de ações dos órgãos de saúde locais. A Secretaria Municipal de Saúde aplicará cerca de 90 mil coleiras repelentes contra o inseto transmissor em cães das regiões mais vulneráveis da cidade.

A doença pode se manifestar tanto em animais quanto em humanos, porém ela não é transmitida diretamente de animais para pessoas. Essa transmissão ocorre quando a fêmea do inseto flebótomo, conhecido por “mosquito da palha” pica um ser humano depois de ter picado um animal infectado.

Entre os principais sintomas da leishmaniose em cães estão: a perda de peso, a falta de apetite, apatia, feridas que não cicatrizam e a falta de pelos em torno dos olhos.

Nos seres humanos, os sintomas são: febre irregular, anemia, fraqueza, inchaço do abdômen, aumento do fígado e do baço.

O tratamento da Leishmaniose em pessoas deve ser feito em ambiente hospitalar e os casos suspeitos devem ser notificados aos órgãos de saúde pública.

Fonte: Rádio Agência Nacional

Portal Piauiês

https://opiauies.com

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.