Agrotóxico carbendazin passa a ser proibido no Brasil

Isso por causa das suspeitas de que a substância tem propriedades tóxicas para a reprodução e o desenvolvimento e que poderiam causar mutação genética e até câncer.


 Agrotóxico carbendazin passa a ser proibido no Brasil
some text

Os agrotóxicos que contém o fungicida carbendazin só podem ser usados no país até terminarem os estoques. A decisão é da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que concluiu nesta segunda-feira a reavaliação desse ingrediente utilizado no tratamento de sementes de arroz, feijão, milho e também em folhas de algumas lavouras, como de cana, soja e milho.

Isso por causa das suspeitas de que a substância tem propriedades tóxicas para a reprodução e o desenvolvimento e que poderiam causar mutação genética e até câncer. Segundo a Anvisa, o ingrediente está proibido pelas agências norte-americana e australiana e em análise na Europa.

Os diretores da Anvisa votaram pelo esgotamento progressivo e não imediato dos estoques de agrotóxicos com carbendazin no Brasil. O gerente-geral de Toxicologia da Anvisa, Daniel Coradi, explica que a medida busca reduzir impactos ambientais.

De acordo com o diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres, a análise do carbendazin teve que ser acelerada para cumprir o prazo dado pela Justiça, de 60 dias, contados a partir de 10 de junho, para um parecer conclusivo sobre o produto. A reavaliação toxicológica do ingrediente pela Anvisa começou em 2019.

Além de consulta pública, foram ouvidos também os Ministérios da Agricultura e Saúde, Embrapa e Ibama.

Fonte: Agência Brasil

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.