Adolescentes imunossuprimidos entram nas recomendações para 4ª dose

O reforço dos adolescentes imunossuprimidos deve ser feito, obrigatoriamente, com o imunizante da Pfizer. Isso porque foi detectada redução de eficácia de algumas vacinas a partir de quatro meses após o fim do ciclo vacinal.


 Adolescentes imunossuprimidos entram nas recomendações para 4ª dose
some text

Adolescentes de 12 a 17 anos, que tomam medicamento que reduz a imunidade ou têm alguma doença imunossupressora, vão receber mais duas doses de vacina contra covid-19. O ministério da Saúde recomenda, a essas pessoas, A terceira dose da vacina e uma quarta de reforço. O grupo vai seguir as orientações já recomendadas aos adultos “com alto grau de imunossupressão”.


O infectologista Julival Ribeiro explica que a chamada “quarta dose” já é aplicada em diversos países como forma de estimular o sistema imune de quem sofre com redução da imunidade, seja por doença ou medicamento. Para ele, a orientação traz mais proteção a essas pessoas.


Os adolescentes de 12 a 17 anos que devem se vacinar com a terceira dose e a de reforço são os que têm “imunodeficiência primária grave, que estão passando por quimioterapia, que fizeram algum tipo de transplante de órgãos ou de células tronco, que vivem com HIV/AIDS, que fazem hemodiálise, entre outros”.


A nota cita, ainda, que o reforço dos adolescentes imunossuprimidos deve ser feito, obrigatoriamente, com o imunizante da Pfizer. Isso porque foi detectada redução de eficácia de algumas vacinas a partir de quatro meses após o fim do ciclo vacinal. No entanto, a Pfizer produz uma resposta melhor do sistema imunológico, quando utilizada como dose de reforço, por ser produzida com RNA mensageiro.


O documento segue a mesma recomendação ao público acima dos 18 anos. Segundo o Ministério, como a Janssen é aplicada em somente uma dose, a orientação é tomar a dose única, depois tomar a dose de reforço entre dois e seis meses e, por fim, o reforço quatro meses após a última dose. Já para os adultos que tomaram vacinas, inicialmente, da Pfizer, Astrazeneca ou Coronavac, o reforço deve ser da Pfizer, Astrazeneca ou da Janssen.

Fonte: Agência Brasil

Samuel Aguiar

Veja ainda

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Obrigado por seu contato!
Em breve nossa equipe retornará para você.